Backup em disco, nuvem ou fita?

Num cenário de constante crescimento no volume de dados, o armazenamento, o backup e a segurança dos dados têm se tornado uma preocupação nas empresas.

Mas não precisa ser assim. Uma estratégia bem definida ajuda a enfrentar o desafio.  

Empresas têm movido seus dados para a nuvem. Em uma primeira análise, o backup em nuvem parece ser uma boa alternativa, pois provedores mundialmente reconhecidos estão apostando em soluções para a cloud. 

O valor por gigabyte utilizado na nuvem é baixo e, portanto, convidativo. Porém, o serviço inclui taxas mensais ou anuais, que podem se somar progressivamente.

Há também os custos adicionais de capacidade para acessar ou restaurar dados. No final, a conta pode resultar alta e nada atraente, especialmente para aquelas empresas regidas por regulamentação que exige a retenção dos dados por vários anos.  

Para armazenamentos de longo prazo a nuvem bem como o armazenamento em disco não são práticos. 

Fitas magnéticas 

Já a fita magnética, no mercado desde os anos 50, tem sido alvo de constante aprimoramento tecnológico: a última geração da tecnologia LTO Ultrium é capaz de arquivar 18 TB nativos e 45 TB compactados, em cada cartucho.  

As fitas estão em alta e continuarão nos próximos anos por vários motivos: elas são baratas, têm grande capacidade de armazenamento, têm baixo consumo de energia, e são muito seguras, uma opção certeira para resguardar os dados de ataques de ransomware e phishing.  

Como são usadas somente para armazenamento off-site, isto é, fora do ambiente de trabalho e em localização externa à empresa, as fitas não estão ao alcance dos hackers e, se houver algum incidente, o recovery será possível. Dados que são isolados do ambiente da TI são mais resilientes. 

A nuvem pode ser uma alternativa ao disco, mas nem o disco nem a nuvem são uma alternativa para a fita. 

Para grandes volumes de dados, nada se comprara a uma fita, que não demanda preocupação, não é preciso monitorar nem vigiar. 

O que fazer?

O recomendável (e nós colocamos em prática com nossos clientes) é realizar um estudo preliminar dos dados a serem armazenados, entendendo quais precisam ser acessados no dia a dia da corporação e quais são pouco acessados.  

Estatisticamente, sabemos que 80% dos dados coletados por empresas nunca ou raramente são acessados ​​após 90 dias. Mesmo assim, precisam ser armazenados.   

Com base no tipo de dado, o ideal é adotar soluções híbridas: 

  • Tapes com dados armazenados off-site e com necessidades de longas retenções. 
  • Nuvem ou disco para dados que necessitem de uma restauração mais rápida ou mais frequente. 

A Lanlink oferece serviço de consultoria e tem uma equipe de especialistas para traçar estratégias de armazenamento, estudando o que é mais adequado e financeiramente mais vantajoso para cada caso.  

As fitas são peça fundamental nessa estratégia, com tecnologias cada vez melhores à disposição, sendo a IBM líder de mercado desde 2002.  

O IBM® TS4500 Tape Library, por exemplo, é uma solução de storage de última geração, que permite armazenar até 1,05 EB de dados compactados por biblioteca de 18 módulos e até 39 PB compactados em uma biblioteca de 1m², com 3.592 cartuchos LTO 9 (18 TB nativos e 45 TB compactados em cada cartucho). 

Foi desenvolvida para ajudar empresas de médio e grande porte a responder aos desafios do armazenamento, fortalecendo a segurança e a conformidade com as regulamentações.  

Conheça nossa oferta, é só nos chamar.  

fale com nosso especialista_1

 

Site Footer