Casos de Sucesso

Veja como as soluções da Lanlink ajudam as organizações a conduzir seus negócios com sucesso.

Grupo Elizabeth passa por transformação digital com Oracle Cloud
grupo elizabeth

Introdução

Conduzida pela Lanlink, a migração trouxe mais segurança para os usuários e facilidades para o trabalho remoto no período da pandemia.

A migração das infraestruturas de TI para a nuvem é uma tendência que as organizações que não querem mais correr o risco de ver suas operações interrompidas por causa de falhas ou paralisações estão seguindo. Em busca de escalabilidade, disponibilidade e segurança, empresas como o Grupo Elizabeth, uma das líderes na produção de porcelanato no Brasil, promoveu uma grande mudança do seu parque computacional ao migrar para a plataforma Oracle Cloud.

Desafio

Com mais de 36 anos de tradição em revestimentos cerâmicos, o Grupo Elizabeth é hoje um dos principais produtores deste segmento no Brasil. Com quatro unidades fabris, sendo duas na Paraíba, uma em Santa Catarina e outra no Rio Grande do Norte, os produtos do Grupo seguem rígidos padrões de qualidade e são fruto de muito investimento em pesquisa e tecnologia.

Diante da necessidade de renovação do seu parque computacional, o Grupo Elizabeth iniciou sua jornada de transformação digital em 2019, bem antes da pandemia impulsionar a migração das empresas para a nuvem. Na época, a organização, com os seus mais de 1.950 colaboradores, contava com todos os seus sistemas corporativos responsáveis pela operação do grupo em uma infraestrutura local, que já estava próxima do seu limite, afetando setores como produção, distribuição e vendas. “Havia problemas como, lentidão e indisponibilidade dos sistemas. Além disso, a operação em home office ainda não se encontrava em boas práticas”, explica César Martins, Gerente de Operação Oracle.

Solução

Entendendo as necessidades do Grupo e a visão de futuro da empresa, a Lanlink entrou como parceira tecnológica responsável pela migração de todos os sistemas corporativos do Grupo Elizabeth para uma nova arquitetura de plataforma computacional em nuvem, a Oracle Cloud Infrastructure (OCI), um IaaS (Infraestrutura Como Serviço) e PaaS (Plataforma Como Serviço) que oferece poder de computação de alto desempenho para executar cargas de trabalho empresariais complexas de forma nativa em nuvem. “Mais robusto, seguro, escalável e flexível, o modelo permitiu acelerar as rotinas diárias de todos os departamentos (vendas, compra, financeiro, departamento pessoal e demais), impactando diretamente o ganho de produtividade de toda a empresa”, argumenta César Martins.

De acordo com a Nucleus Research, o custo total de propriedade (TCO) com a nuvem é 52% menor do que em aplicações locais. Além disso, o retorno do investimento (ROI) é 3,2 vezes maior do que nas instalações e o risco de obsolescência tecnológica (RTO) é totalmente eliminado. Vantagens como estas são avaliadas pelas empresas interessadas na migração para nuvem e se tornam decisivas. No caso do Grupo Elizabeth, um estudo de viabilidade financeira apresentado pela Lanlink mostrou que o retorno do investimento seria de mais de R$ 1 milhão, ao longo de três anos.

Tanto para a empresa, como para o seu cliente final, a solução se mostrou viável, eficiente e segura, colocando o Grupo Elizabeth em um outro patamar de inovação. “Trouxe mais segurança aos usuários quanto à estabilidade do sistema e também nos facilitou propor soluções para o Home Office, devido ao período de pandemia”, conclui Marcílio Monteiro.

Vantagens

Como observa Marcílio Monteiro, Gerente de TI do Grupo Elizabeth, a migração trouxe ao negócio vantagens como alta disponibilidade dos serviços de TI, pois o sistema não estaria mais concentrado em uma única unidade, caso acontecesse algum problema de rede/energia. Além disso, um cenário possível se não fosse feita a transição, era a empresa ter que arcar com um alto investimento em novos equipamentos, pois eles já estavam fora da garantia. “A tendência é ter mais problemas com o hardware, com o passar dos anos, impactando na disponibilidade do sistema para os colaboradores”, justifica o gestor.

Outro benefício que veio com a plataforma Oracle Cloud foi a segurança física dos servidores. “Com o ambiente na Oracle, não precisamos nos preocupar com o acesso aos servidores fisicamente, pois se uma pessoa acessar a sala pode colocar um pendrive/computador para infectar a rede, abstrair informações, danificar os equipamentos ou até mesmo desligar fisicamente”, ilustra Marcílio Monteiro.

Com uma arquitetura computacional mais robusta, o Grupo Elizabeth ganhou mais facilidade em ampliar ou reduzir o parque tecnológico de acordo com as demandas de negócio, reduzindo para horas o processo que antes levava meses para analisar, mensurar, adquirir, instalar, configurar e provisionar. “Hoje o Grupo tem uma maior capacidade em restabelecer o seu negócio de uma forma bem mais rápida, evitando a indisponibilidade ou a perda de alguma informação preciosa. Tem também capacidade em reter uma maior quantidade de dados a custos mais baixos, com 100% de garantia da consistência no restore do dado”, acrescenta César Martins.

Além da plataforma computacional, a Lanlink ofertou como parte da solução uma Central de Serviços 24x7 especializada em nuvem e banco de dados, para realizar toda as atividades de migração, configuração e ajudar na sustentação de todo o parque tecnológico, provendo também outros serviços como, relatórios de consumo e de sugestões de melhorias técnicas e possíveis reduções de custos.

Publicado em

5 fevereiro, 2021

Lanlink 2019 © Todos os direitos reservados